gestor de pessoas Michael Scott

A versão americana de The Office completou 15 anos em março de 2020 e é um verdadeiro “intensivão” do que não fazer quando se é um gestor de pessoas.

A série da quarentena – aparentemente, todos no Twitter decidiram assistir este sitcom ao mesmo tempo – se passa numa fábrica de papel chamada Dunder Mifflin. Entre os personagens, estão Michael Scott, o gerente regional da empresa, e Dwight Schrute, o arrogante subgerente.

Para quem está acostumado com a rotina de um escritório vai achar a série ainda mais divertida, pois será possível identificar a dinâmica das equipes interagindo, o processo de tornar os membros da equipe em família etc.

Todos os personagens são caricaturas de pessoas que podemos encontrar em um escritório com enorme riqueza de detalhes. Você vai se identificar, com certeza!

A dinâmica das equipes também é hilária! Tem a equipe de vendas, a contabilidade, o atendimento ao cliente, suprimentos e controle de qualidade. 

Logo nos primeiros episódios você terá a sensação de “nossa, conheço alguém assim” ou “olha eu ali”. 

Falando em identificação… Depois de você descobrir quem é você no “The Office”, por favor, conta aqui nos comentários.

gestor de pessoas com equipe reunida

Os desafios de um gestor de pessoas

Como dito acima, a série conta com o auto-intitulado “melhor chefe do mundo”, Michael Scott (Steve Carrel).

Na verdade, Michael consegue ser bem desnecessário boa parte do tempo. Ele tenta ser engraçado, mas falha miseravelmente. Apesar de ter um bom coração, faltam ferramentas para que ele possa ser, além de chefe, um líder. São elas:

  • Empatia; 
  • Negociação; 
  • Ser bom ouvinte; 
  • Bom gestor do seu tempo;
  • Ser proativo; 
  • Disciplina; 
  • Foco.

Além disso tudo, ele precisa ser estratégico e ter seus objetivos e metas bem definidos.

https://t.co/IKIg8KgeQJ

O time de liderança também conta com Dwight Schrute, é um dos principais, pois é com ele que temos várias cenas um tanto bizarras e memoráveis.

Dwight, candidato a gestor de pessoas

Entre bizarrices, cenas emocionantes e muitas gargalhadas, a séria The Office, e em especial o protagonista Michael Scott, pode nos mostrar como uma mau gestor de pessoas pode gerar resultados negativos no desempenho dos colaboradores. 

Então, para não cair na armadilha de ser o Michael Scott da sua empresa, veja 6 dicas sobre liderança e gestão de pessoas tiradas da série:

#1 Saiba reconhecer as qualidades da equipe, mas com cautela

Como falar de reconhecimento e não mencionar os Dundies? Está é a premiação criada pelo Michael para motivar a equipe. Ela é cheia de categorias ofensivas e pouco ortodoxas, como o prêmio de funcionário mais sexy para o Ryan; ou a vitória da Pam por possuir o par de tênis mais branco do escritório.

Apesar de sem noção, a intenção foi nobre. Ser reconhecido não é somente aumento de salário ou promoção, pode estar presente em pequenas atitudes, como um e-mail, uma mensagem na intranet corporativa ou até um prêmio, mesmo que simbólico.

Mas é óbvio que a estratégia de gestão está errada. Se o Michael tivesse procurado a gente antes, daríamos umas dicas sobre estratégias de endomarketing.

#2 Promova e incentive treinamentos, mas, POR FAVOR, deixe claro qual a finalidade do evento

No melhor episódio da série – e não é exagero: este é o episódio mais assistido – Dwight, o subgerente, decide simular um incêndio para conscientizar os funcionários sobre as medidas de segurança a serem seguidas no escritório, MAS NÃO CONTA PARA NINGUÉM!

gestor de pessoas substituto, Stanley

Todo mundo entra em pânico quando ficam sabendo do incêndio no escritório. O Michael mostra todo o seu despreparo e surta enquanto pede calma aos outros funcionários. hahahahahaha

Os enquadramentos e as trocas de câmera são um show à parte. Olha só:

Gostou, né? Mas, sério, não seja essa pessoa. Promova treinamentos. Faça a divulgação e deixe o conteúdo estudado, as fotos e as datas disponíveis em uma plataforma de comunicação interna, como a Intranet.

OBS: por precaução, vamos deixar algumas dicas que podem salvar a sua vida numa situação de incêndio.

#3 Aprenda a utilizar o “silêncio constrangedor”

Este recurso é utilizado indiscriminadamente durante os episódios. As cenas embaraçosas retratadas são divertidíssimas; isso porque gostamos de ver a reação dos personagens de acordo com as pérolas proferidas por eles.

Calma! Não estamos dizendo para você sair ignorando os seus colegas, mas que esta prática também pode ser utilizada para evitar casos de bullying corporativo.

Falando em bullying corporativo… Você consegue identificar esta prática no seu ambiente de trabalho? 

Imagem
Tradução: se eu tivesse uma arma com duas balas e eu estivesse em uma sala com o Hitler, o Bin Laden e o Toby… Eu atiraria no Toby duas vezes

O Michael deixa bem claro que não curte muito a presença de Toby (funcionário do RH) na empresa. 

O bullying no trabalho pode ter causas na liderança, na cultura organizacional, estresse e também na organização do trabalho. Qual destas opções se encaixa no vídeo acima?

#4 Cuide da saúde emocional dos colaboradores

A OMS estima que a depressão e a ansiedade serão as primeiras causas de perda de capacidade de trabalho nos próximos 10 anos em todo o mundo

Para conscientizar os funcionários sobre a importância de cuidar da saúde emocional, Dwight e Michael decidiram fazer o seguinte: 

Um estudo da International Stress Mangement Association (ISMA-BR), mostra que 9 em cada 10 brasileiros no mercado de trabalho apresentam sintomas de tensão e ansiedade.

A coisa é séria e precisa ser discutida o ano inteiro. Você pode criar campanhas de conscientização na intranet corporativa, grupos de apoio e realizar palestras.

#5 Tente tirar algo bom de cada situação (ou episódio)

Outro treinamento que falhou miseravelmente! 

A Dunder Mifflin promoveu um curso de primeiros socorros para a equipe. O pessoal não estava nada empolgado com a novidade, a não ser Michael; que logo toma a frente do procedimento.  

Agora o fato impressionante: um rapaz americano salvou a vida de uma mulher utilizando as técnicas aprendidas na série.

Ele fez a massagem cardíaca com aquela técnica do Staying Alive. Os socorristas disseram que, provavelmente, a mulher não sobreviveria se não fosse ele.

Esta é a hora que vocês mandam o link da notícia para aquele povo que insiste em dizer que você perde muito tempo vendo séries. 

#6 Tenha paciência

Curiosamente, The Office não fez todo este sucesso de audiência quando foi exibido nos EUA pela primeira vez (2003). Na verdade, o programa quase foi cancelado após sua segunda temporada.

Imagem

Maaas… No ano passado, The Office desbancou Friends e se tornou a série mais vista na Netflix nos Estados Unidos.

Então, não basta ter uma ideia genial, recursos e uma equipe boa; é preciso tempo para que você (e a sua empresa) sejam notados.

Imagem

Ficou animado(a) para saber mais sobre a série? Aqui no Brasil ela está disponível na Globoplay, Comedy Central ou na Amazon Prime.

Agora, me conta… Você se identificou com algum dos personagens da série? Por quê? A sua empresa se parece com a Dunder Mifflin?

Conte a sua experiência nos comentários. Agora, para receber mais conteúdos como esse direto na sua caixa de e-mail, é digitar seu e-mail abaixo 👇

Conteúdo novo toda semana

Entre para nossa lista e receba o melhor conteúdo do blog

Post by SimbioX
Outubro 16, 2020

Comments