Para uma empresa gerir bem seus funcionários, é necessário desenvolver um modelo de gestão de pessoas eficaz, afinal o desejo da empresa é obter bons resultados com o seu time.

Escolher o modelo de gestão e quais procedimentos serão desenvolvidos pelo time de gestão de pessoas é fundamental nesse processo.

O sucesso de um empreendimento exige dedicação para atingir o lucro e  a rentabilidade desejada. Portanto, o gestor de pessoas precisa definir um modelo de gestão alinhado com o segmento, marca, e com os colaboradores da empresa.

A seguir, vamos te mostrar todos os modelos existentes de forma rápida, para que você consiga optar pelo melhor formato para gerenciar a sua empresa.

O que é gestão de pessoas?

Tudo que as pessoas desenvolvem em uma empresa faz parte da gestão de pessoas. Se uma empresa vai bem, é devido ao bom desempenho de seu capital humano, assim como o inverso também é verdadeiro.

Uma gestão mal feita sempre gera consequências negativas, impactando assim os resultados da companhia.

A construção positiva inicia desde o onboarding, integrando colaboradores recém-contratados imediatamente o inserindo na cultura organizacional, rotinas e responsabilidades do seu cargo.

A gestão de pessoas também exige um trabalho de Employee Experience, onde o sucesso da corporação é fruto do resultado das interações do funcionário com a empresa em três principais momentos:

  • Contratação;
  • Desenvolvimento interno
  • Crescimento profissional
  • Desligamento

De forma geral, todo esforço para melhorar a experiência do colaborador na e o fazer se sentir valorizado trará retornos positivos para a empresa.

Funcionários que enxergam seu valor na corporação produzem mais e costumam atingir suas metas. Além disso, uma gestão bem feita garante um bom relacionamento entre colaboradores e gestores – reduzindo conflitos e ajudando no engajamento interno.

Modelos de gestão

Cada empresa tem seu método para gerir colaboradores e cabe a cada uma selecionar qual o formato ideal para o seu negócio.

Questões como tradição ou inovação afetam nessa escolha, mas não existe certo e errado, o que importa é identificar qual o melhor formato de gestão eficiente para a sua empresa.

Gestão por resultados

Esse é tipo de gestão visa crescimento com resultados rápidos. Usado em empresas com foco no curto prazo e que não estão preocupadas com questões de longo prazo.

Os funcionários nesse ambiente possuem perfil de alta performance, porém, corre-se o risco de haver competição e desvios de comportamento fora do padrão ético da companhia.

Gestão Comportamental

Na gestão comportamental o objetivo é identificar o que há de melhor e o que precisa ser trabalhado de cada colaborador e a partir disso investir em seu desenvolvimento.

Neste ambiente, reter, treinar e valorizar o colaborador para evitar turnover e parte da rotina. Eles entendem que vale mais a pena investir em quem está na casa do que buscar novos profissionais no mercado.

Gestão por Competências

A gestão por competências busca identificar as competências técnicas e comportamentais dos colaboradores, montando equipes de alta performance.

Tudo quanto é habilidade é considerada, tanto as profissionais quanto os pessoais

Gestão Processual

Uma empresa com foco em processos é aquela que planeja visando o longo prazo, sendo que o objetivo é planejar tudo com cuidado, com processos claros, sendo o mais eficiente possível, mesmo que para isso demore mais tempo para ser elaborado.

Há risco de erro neste modelo de gestão, mas o ponto a se tomar cuidado é que os processos não sejam muito lentos e atrapalhem a entrega final.

Gestão Autoritária

Esse é o tipo de gestão onde os colaboradores não têm voz ativa. É um tipo de gestão complicada, onde autoridade é confundida com poder tornando o ambiente tóxico.

O lado positivo é que todo o risco é assumido pelo gestor e equipe, portanto se diminui erros, já que a decisão foi tomada por um grupo de pessoas.

O lado negativo é os colaboradores não podem dar sua opinião e perfis mais questionadores acabarem confrontando a gestão, quando há divergência de opiniões.

Gestão Democrática

Também conhecida como gestão participativa, esse modelo considera o a opinião dos funcionários nos processos de tomadas de decisão.

Pelo formato, é um impulsionador do engajamento dos colaboradores e liderados, porque todos são ouvidos e a comunicação é aberta.

Mas nem tudo são flores. Em um ambiente onde todos podem opinar, há muitas opiniões divergentes e acabam acontecendo bastante atrito entre as equipes.

Nessas situações, é essencial que a liderança saiba contornar situações de conflito em prol de um bom clima organizacional.

Gestão Meritocrática

Em um modelo de gestão meritocrática, o que conta é a performance e desempenho individual, o que estimula constantemente o desejo pelo crescimento.

Entretanto, um ambiente neste formato acaba gerando um clima extremamente competitivo e isso nem sempre é positivo para o resultado da empresa.

Como escolher o melhor modelo de gestão para minha empresa?

Não há um melhor ou pior. Uma empresa pode, por exemplo, adotar diferentes forma de gestão que julgar mais adequado trazendo os melhores pontos de cada tipo.

Nessa adoção há questões que podem decidir pela escolha de um ou de outro, baseado na área de atuação, número de colaboradores, e principalmente a missão, visão e os valores da empresa.

Uma empresa que acabou de abrir, ou que estejam em crescimento, escolherá um modelo de gestão diferente de quem estiver passando por uma crise com aumento da rotatividade e absenteísmo.

Entender as características da empresa, o perfil dos colaboradores e qual o momento da empresa ajuda a definir os objetivos de acordo com as expectativas do negócio.

Um aspecto importante a considerar é a diversidade. As empresas têm papel fundamental na construção de um mundo mais igualitário e esse movimento tem que permear toda a empresa.

A organização deve trabalhar a redução da desigualdade de gênero, de qualquer tipo de preconceito com relação á orientação sexual , cor de pele, pautando a escolha do candidato pelas suas competências, independentemente de qualquer outro ponto.

Porém, a gestão da diversidade ainda é pouco difundida nas empresas brasileiras e necessita trabalhar todo o contexto de como se comunica com o mercado, investir em iniciativas de apoio, realizar treinamentos internos, elaborar programas e padronizar como todos devem ser tratados.

Conclusão

Como já falamos anteriormente, não há um certo ou errado quanto ao modelo de gestão de pessoas. Entretanto, em ambientes onde se valoriza o capital interno e os líderes conseguem alinhar os perfis às necessidades da empresa, costumam ser os mais eficazes no atingimento das metas.

Empresas onde há possibilidade de aproveitar o que há de melhor nos times, onde os colaboradores são inseridos num contexto de acordo com suas capacidades e experiencias, ajudam-no a se desenvolver, ver-se crescendo naquele ambiente e sentirem-se relevantes no lugar onde trabalham.

As empresas precisam de pessoas e tudo se baseia nelas. Então, nada melhor do que desenvolver um modelo de gestão de capital humano para seu negócio crescer de forma consistente.

E aí, como é o modelo de gestão de pessoas na sua empresa? Você quer levar a sua empresa para um outro patamar de resultados aproveitando todo potencial de capital humano que você já possui?

Como você percebeu, tudo passa pela comunicação interna. Então, que tal conhecer a Intranet Fast – a plataforma de comunicação interna que engaja mais de 20 mil colaboradores todos os dias?

Basta clicar aqui e falar com um especialista.

Post by SimbioX
Novembro 30, 2020

Comments