fbpx
People Analytics: sua empresa está preparada para revolução?

RH

People Analytics: sua empresa está preparada para revolução?

SimbioX
Escrito por SimbioX em 25 de junho de 2019
🔴 Webinar Jornada do Colaborador na Prática em 10 etapas. Grátis

People Analytics (PA), HR Analytics, Talent Analytics ou Workforce Analytics. Não importa a denominação, você, provavelmente já ouviu falar sobre o quão revolucionário este sistema pode ser para a gestão de pessoas.

Não confunda! Não estamos falando de um programa específico, mas de um processo inteiro. A partir do momento que você implementa o big data (termo que descreve o grande volume de dados) e a bussiness intelligence aos processos de RH, você tem o PA.

É importante frisar que a intenção do método todo não é a tomada de decisões automática; o olhar humano é ainda essencial. Esse ajuda os gestores a identificar as maneiras mais eficientes de gerir a empresa com foco nos colaboradores.

As tomadas de decisão são feitas baseadas em informações e números – adeus subjetividade!

E de quais tomadas de decisão estamos falando?

Recrutamento

Parece que este é o momento no qual os gestores mais procuram essa ferramenta. É possível identificar padrões e deixar o processo seletivo mais assertivo, além de deixar todo o processo mais rápido.

Treinamento e desenvolvimento

Através do People Analytics é possível definir características técnicas, sociais e pessoais de cada colaborador. Com uma base de dados consolidada é possível identificar defasagens e oportunidades de crescimento no perfil do colaborador.

Redução de custos

Com o PA fica escancarado o que funciona (ou não) na empresa. Com essas informações é possível traçar estratégias e reduzir custos desnecessários. Além disso, com um recrutamento eficiente e uma equipe bem treinada, o trabalho torna-se mais produtivo.

People Analytics é, com certeza, uma das ferramentas do RH do Futuro e a mais promissora, mas muitas empresas não estão preparadas para a implantação do sistema.

Tecnologia, estatística e gestão de pessoas: são as palavras que definem esse método. A gestão de pessoas e a estatística não são – na maioria das vezes – o problema, mas sim, a tecnologia.

Muitas empresas ainda guardam os dados em Excel ou, pior ainda, em papel. Vamos combinar: administrar centenas ou milhares de folhas não é moleza… Imagina mensurar tudo isso?! Bagunça, menos espaço e, com certeza, informação perdida.

“Ok, me convenceu. Mas por onde começar meu projeto de PA?”

Primeiramente, invista em uma pessoa (ou equipe) qualificada. Não adianta pedir para o colaborador do RH assumir essa responsabilidade.

Trabalhar com big data — tanto estruturados quanto não-estruturados —sobrecarrega as empresas de RH diariamente. A melhor opção aqui é automatizar processos e atualizar, por exemplo, o armazenamento de dados. Esqueça papéis e o Excel. Aliás, há ótimas ferramentas disponíveis para substituir o Excel, sabia? Não? Dê uma olhada aqui

Não é possível separar People Analytics de Business Intelligence (BI).O BI ajuda a definir um conjunto de estratégias baseadas na captura e a análise de dados para processos de tomadas de decisão. De novo: você precisa rever os processos.

Já resolveu a questão do armazenamento de dados? Agora você precisa definir metas de acordo com os seus objetivos. Desta forma fica mais fácil, pois você saberá exatamente o que procura. Com a metas definidas, os dados bem armazenados e fáceis de mensurar, é hora de tomar decisões baseadas nas informações coletadas.

Assim que o processo estiver bem estabelecido será possível criar modelos de previsão. Como assim? O People Analytics pode prever o comportamento de um colaborador; o ajuda a diminuir, por exemplo, a taxa de rotatividade.

Qual o impacto do People Analytics?

Você perceberá que alcançar objetivos estratégicos ficará mais fácil. Tanto o processo seletivo quanto a retenção de talentos serão otimizados. O pessoal do RH economizará tempo com a facilidade de acesso aos dados e espaço.

Grandes empresas como o Google, a Nielssen e a IBM notaram diferença logo no começo da implementação. O monitoramento possibilitou melhorar a comunicação interna com base no que os colaboradores falavam da empresa nas redes sociais. Com base no padrão de demissões, empresas fizeram uma revisão de seus cursos de capacitação e viram o número de colaboradores satisfeitos aumentar.

E então? Vamos começar esta revolução?

E aí,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *