fbpx
Importância da Arquitetura da Informação

Gestão de Documentos

Importância da Arquitetura da Informação

SimbioX
Escrito por SimbioX em 26 de março de 2020

O que é Arquitetura da Informação?

Arquitetura da Informação ou AI, é a metodologia que organiza os itens de um sistema de uma forma mais logica, determinando onde e o que deve ser conectado. Seja em objetos, lugares físicos ou digitais, tem a finalidade de tornar claro o contexto em que o indivíduo ou usuário está.

Portanto, quando planejamos a arquitetura de um site, a AI permite entendermos, como usuários, onde estamos e que lugar está a informação que queremos.

Ela ajuda na criação de hierarquias, taxonomias, categorias, etc. Ao organizarmos um menu, o conteúdo ou estrutura de um site, estamos realizando Arquitetura da Informação.

Mas esse conceito surgiu na década de 70 bem antes do surgimento da internet ou celular.

Arquitetura da informação

Muitos não sabem, mas a Arquitetura da Informação não é uma metodologia oriunda do digital.

Teve início em outros campos, como alguns que citaremos abaixo:
Biblioteconomia

A AI servia para catalogar as informações usadas em diversas bibliotecas, museus e até mesmo hospitais.

Psicologia Cognitiva

A AI usa a psicologia para estudar os processos mentais e de que forma organizamos a informação cognitivamente.

Arquitetura

A AI pensando na arquitetura, como o arquiteto desempenhando sua função, catalogada como um edifício.

Aplicação da AI nos dias atuais

A sua influência está presente nos sites e aplicativos que usamos, em materiais impressos, e até nos locais em que convivemos. Arquitetura da Informação nos ajuda a entender o que nos rodeia, e a encontrar o que procuramos.

Contudo, é um forte pilar da tecnologia, fazendo parte de um grande contexto de transformação digital.

Para ficar mais claro o conceito, pense em um site e tenha em mente algumas perguntas:
  • Qual o assunto principal?
  • Que informação quer me trazer?
  • O que posso fazer aqui?
  • Por que navegar aqui e não em outro site?
  • O design e a disponibilidade dos assuntos no site deixam claro para o visitante sobre o que se trata?

A AI não é algo simples de construir, mas que minimiza tempo e dinheiro posteriormente, caso surjam problemas complexos no futuro. Assim, ela permite que o site seja orientado a fornecer tanto um conteúdo de qualidade quanto uma boa usabilidade.

Problemas não solucionados causam frustração à audiência, de tal forma que faz a empresa acabar perdendo usuários insatisfeitos para a concorrência.

Sem contar, que usuários com uma má experiência em algum site ou aplicativo de uma empresa, acabam associando o produto à marca, o que prejudica a reputação da empresa.

O AI pode ser estruturado em 3 pilares:
  • Conteúdo;
  • Usuários;
  • Contexto.
3 pilares da AI

A interseção desses 3 pilares de AI, possui o nome de ecologia da informação e representa um ambiente que mudará de acordo com cada negócio.

Agrupando o AI nos tópicos abaixo, exemplificamos:
ConteúdoUsuáriosContexto
Textos;
Imagens;
Podcasts;
Estrutura;
Taxonomia.
Persona;
Busca pela informação;
Experiência de uso;
O que busca executando sua aplicação.
Objetivos do projeto;
Modelo de negócios;
Metodologias de desenvolvimento;
Recursos e restrições do projeto.

AI torna simples o que é complexo

A arquitetura da informação no mundo digital situa o usuário no contexto, seja ele qual for: uma página, um aplicativo ou um software.

Se a experiência do usuário é positiva e ele fica mais tempo ali, maior são as chances de convertê-lo em lead, já que terá navegado pelos produtos e serviços disponíveis. Um site bem organizado auxilia a jornada de compra do cliente.

AI torna simples o que é complexo
Existem 4 metodologias utilizadas para Arquitetura da Informação. São elas:
Estrutura hierárquica

Esta etapa vai garantir que os usuários naveguem entre páginas e conteúdo, acessando todos os menus e submenus sem maiores problemas.

Visto que a estrutura hierárquica é que vai definir o arranjo de como essas vão interagir e se comunicar.

Wireframes

São os rascunhos do projeto, que descrevem quais conteúdos e informações deverão ter nas páginas.

Servem de base para todos envolvidos terem a base para trabalhar em cima da estrutura do layout final.

Taxonomia

São os organogramas ou mapas dos sites, usados para hierarquizar as informações e os conteúdos pelo site, com o objetivo de facilitar a navegação.

Análise de conteúdo

Serve para reunir todas as informações que terão no site. Ou seja, funciona como um levantamento de todos os dados que ajudarão a compreender melhor o projeto.

A AI envolve várias metodologias de vários ramos. Tudo para garantir a melhor usabilidade e prover a melhor experiência naquela interface, achando rapidamente o que procura.

Usabilidade no centro do usuário

A usabilidade tem o objetivo de tornar um site intuitivo, fácil de aprender, agradável e fácil de ser lembrado.

É um conjunto de técnicas, recursos visuais e programação que, quando bem empregadas, resultam em site com menores taxas de rejeição, maior tempo de navegação e índices mais altos de conversão.

Além disso, a qualidade dessa experiencia deve-se ao trabalho de arquitetura da informação. Quando navegamos em sites intuitivos nem pensamos em todos os detalhes que foram pensados para aquela interface.

A interligação entre Guarda de Documentos e Arquitetura da Informação

Você já pensou que a arquitetura da informação e a guarda de documentos tem muito em comum?

Pois é, a arquivologia é a gestão de documentos que envolve todos os procedimentos e operações técnicas referentes à produção, tráfego, uso, avaliação e arquivamento de documentos durante o seu ciclo de vida.

Os arquivos da área de Recursos Humanos, por exemplo, possuem um ciclo de vida.

Os documentos no RH compõem séries documentais classificadas com base no princípio da funcionalidade que se relacionam com a Tabela de Temporalidade, com os prazos de guarda definidos durante o processo de avaliação.

Essa avaliação identifica valores para os documentos e analisam o ciclo de vida para estabelecer prazos para sua guarda ou eliminação, buscando assim racionalizar o uso de arquivos, a eficiência administrativa e a preservação do patrimônio documental.

Na arquitetura da informação os portais precisam ser planejados, programados e abastecidos com informações, visto que os ambientes digitais são interfaces de relacionamento com pessoas. Portanto é essencial pensar previamente todo relacionamento dos portais com os seus usuários.

A diferença entre as informações utilizadas pelos arquivistas e arquitetos da informação são no momento da sua utilização.

Vamos comparar algumas situações:
ArquivistaArquiteto da Informação
Principal preocupação Integridade e valor de prova da informaçãoEficiência e a eficácia do uso das informações disponíveis no ambiente digital
Documentação Registro de informação orgânica usada em tomada de decisão e produzida em razão das ações de entidades e pessoasNos ambientes digitais, os sites visam a divulgação e comunicação de informações a determinado público
Classificação Métodos de estruturação de informações como o método funcional dividido em assuntos Taxonomia para criar agrupamentos categorizados por similaridade. Conteúdos que ajudem o usuário a acessar direto esses conteúdos
Estruturação das informações Avaliação técnica de classificação e guarda ou descarte de documentos, aperfeiçoando espaços e arquivamento de informações nos acervos Gestores de conteúdo para determinar a duração dos conteúdos e sua tipologia nos meios digitais.
Catalogação/Busca Criação de instrumentos que auxiliem o acesso a informações como catálogos e outros Criar sistemas de navegação e de estruturação web que possibilitem este acesso também

A hierarquização da informação é importante, assim como a análise desses dados.

Como sua área de RH organiza e gerencia os documentos da empresa?

Conte para gente! 🙂

E aí,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *