fbpx
Gamificação o que é? Descubra agora

RH

Gamificação o que é? Descubra agora

Bruno Santos
Escrito por Bruno Santos em 4 de março de 2020

Dizer que há um grande abismo entre os jogos e o mundo real pode ser um grande erro. Ao longo dos anos, os jogos ficaram cada vez mais complexos. Um dos fatores que os tornaram tão interessantes é a possibilidade de criar realidades focadas em objetivos e recompensas.

Considerando que os jogos estimulam e motivam pessoas para cumprir um objetivo, não seria  difícil imaginar que utilizar elementos de jogos na vida real pode tornar tarefas cotidianas muito mais interessantes. É aí que entra a tal da gamificação, que como o próprio nome já diz, é o processo de utilizar a mecânica de jogos na vida real.

Ok, mas como a gamificação funciona? 

Você pode “gamificar” qualquer coisa do cotidiano, basta ter criatividade. Por exemplo: muitas pessoas consideram lavar louça uma atividade desestimulante, aumentando as chances de procrastinação e acúmulo de louças sujas. Essa pessoa pode traçar uma meta onde, caso lave a louça determinado número de vezes, ganha uma recompensa por isso. Tal mudança pode transformar essa atividade maçante em algo muito mais atrativo. 

A gamificação pode ter diversos formatos envolvendo níveis, missões e pontos. O mais importante é que tenha algum tipo de recompensa atrelada.

Mas isso não quer dizer que ela é exclusivamente individual, já que pode ser aplicada também em grupos de pessoas, tornando-a mais produtivas e cooperativas.

Os dois tipos de motivação

É fato que a gamificação pode ser o método perfeito para deixar uma pessoa muito mais motivada. Quando as coisas se tornam mais interessantes, é mais fácil se manter engajado para realizar qualquer tipo de atividade. Essa motivação geralmente projeta um desejo por algum tipo de recompensa, que pode ser tanto algo material quanto imaterial. Para entender melhor como reagimos a esse tipo de motivação, podemos organizá-la em dois tipos: a motivação intrínseca e a extrínseca

Motivação intrínseca e o app Habitica

Uma motivação intrínseca remete a uma coisa que não se pode tocar, portanto, imaterial. Além de depender exclusivamente do indivíduo, este tipo de motivação é mais ligado a hábitos de vida e realizações pessoais. Elevar a nossa motivação pessoal pode ser algo primordial na hora de conseguir uma nova promoção, acordar mais cedo ou ser uma pessoa mais calma. 

habitica app gamificação
Aplicativo Habitica

Para obter motivação em coisas intrínsecas, o aplicativo Habitica pode ser uma boa opção. À primeira vista, parece como um comum RPG mobile, mas com um enorme diferencial: nele, você delimita as suas metas pessoais e cria suas próprias missões, que são pequenas etapas para conquistar uma meta maior. Ou seja, se você criar uma missão “Beber água” e executá-la, ganhará pontos de experiência que podem ser trocados por diversos tipos de recompensas no app.

Controlando hábitos com o Habitica

Caso você esqueça de realizar alguma missão dentro do app, ela pode entrar como um hábito negativo, causar danos ao seu personagem e até matá-lo. Por isso, além de tornar mais empolgante a realização de certas atividades, o game ainda pode causar o efeito contrário mostrando quão nocivo pode ser deixar de cumprir tarefas que você mesmo se propôs a fazê-las.

Como o usuário desenvolve os próprios objetivos no jogo, não existem limites para uso do aplicativo, só depende da sua criatividade e, mais importante, definir quais são suas metas pessoais. 

Para você ter uma noção do efeito da gamificação na produtividade usando o app Habitica, veja este artigo de um dos seus usuários Habitica: a minha produtividade me tornou um mago nível 30

Diversos aplicativos e sites com a mesma temática mostram que a linha entre os jogos e a vida real pode ser mais tênues do que imaginamos.

Motivação extrínseca e o Quilômetro de vantagens

“A motivação extrínseca apresenta-se como a motivação para trabalhar em resposta a algo externo à tarefa ou atividade, como para a obtenção de recompensas materiais ou sociais, de reconhecimento […]”

(Martinelli, Selma e Bartholomeu, Daniel).

Muitas de nossas motivações são referentes a coisas materiais e palpáveis. E não precisamos ir longe para identificar que a gamificação já está presente em nosso cotidiano, justamente estimulando a motivação extrínseca.

Um ótimo exemplo de gamificação baseada em motivação extrínseca é o sistema do tipo “quilômetros de vantagens” oferecido por diversos postos de combustível. Nele, a cada valor abastecido no posto da empresa, o comprador ganha pontos de vantagem. 

Estes pontos podem ser convertidos em milhas, dando desconto em uma viagem internacional, por exemplo. Além disso, existem diversos produtos que podem ser adquiridos com desconto ou até mesmo pagos parcialmente usando pontos e dinheiro real.

quilômetros de vantagens posto Ipiranga gamificação
KM de Vantagens – Posto Ipiranga

O sistema do tipo “quilômetros de vantagens“, bem popular no posto Ipiranga, é um exemplo perfeito de gamificação aplicada em estratégia de negócios. Ao disponibilizar pontos a cada abastecida, torna-se muito mais estimulante e animador colocar gasolina ou trocar o óleo, podendo até mesmo fidelizar mais clientes através desta ação. 

O ambiente corporativo é muito sério para gamificação?

A gamificação não é só utilizada na relação entre empresas e clientes, ela também tem se tornado popular no ambiente corporativo.

Com o objetivo de aumentar o engajamento entre colaboradores, organizar processos e estimular boas práticas, muitas empresas vêm adotando métodos de gamificação.

Aqui na SX, por exemplo, o pessoal sempre busca novas maneiras de manter o time engajado e animado. Há alguns meses, a equipe de marketing implementou um sistema de pontos à lá escola de Hogwarts em Harry Potter (“Mais cinco pontos para Griffinória!).

Além de desafios relâmpagos (que eram avisados com pouco tempo de antecedência), existiam desafios fixos que rendiam pontos se realizados e comprovados.

Encaixando-se totalmente na nossa rotina, os desafios eram simples, mas não menos importante.

Por exemplo:

  • Realizou algum tipo de limpeza no escritório? Bastaria tirar uma foto e receber os pontos.
  • Registrou um elogio a um colega na Intranet? Também recebia pontos.

Assim, muitas atividades simples que até mesmo deixávamos de fazer se tornaram interessantes e divertidas. 

Além disso, os pontos podiam ser usados para resgatar prêmios que iam de barra de chocolate até um almoço pago pelo CEO da empresa. 

A gamificação na educação

Segundo a empresa SAE Digital – fornecedora de tecnologia e metodologias para Sistemas de Ensino, a gamificação é vantajosa para educação, já que ajuda a combater um dos principais problemas entre os estudantes: a falta de interesse.

Desde tempos antigos, esta metodologia já é aplicada em sistemas de ensino. Por exemplo, alguns professores costumam dar ‘estrelinhas’ para os alunos que entregam as lições de casa em dia, ou dão prêmios para os melhores alunos da classe. Isso tudo torna mais lúdico e interessante interagir com as aulas e realizar as atividades escolares, aumentando por consequência a motivação dos alunos.

Mas a motivação não é o único benefício da gamificação na educação.

A gamificação pode ser fundamental para ajudar no foco e na persistência, já que, além de entreter o aluno, os níveis dos desafios vão aumentando a sua dificuldade. Consequentemente, o estudante precisará se concentrar mais e persistir no desafio para cumprir o objetivo. 

Se a educação começa em casa, a gamificação também!

Como você deve ter percebido, a gamificação funciona em sistemas de ensino, pois ela ajuda a manter o foco e o interesse do aluno no aprendizado. Desta forma, a gamificação também pode ser aliada dos pais na educação dentro de casa.

Na fase infantil, costumamos interpretar palavras de ordem de forma mais objetiva se comparado à fase adulta. Logo, se alguma coisa nos desagrada, não queremos fazê-la.

Mas ao perceber que a ação pode ter uma recompensa, por que nos sentimos mais motivados a cumpri-la?

“Levar em consideração o que a criança deseja dá margem para reflexões. Ela vai se sentir respeitada como pessoa e aprenderá a importância de se responsabilizar por seus atos. Se o combinado for cumprido, dê algum tipo de recompensa”.

A apresentadora e educadora Cris Poli, popularmente conhecida como Supernanny, mostra desde sempre que a gamificação pode ser essencial para educar uma criança no ambiente familiar.

Então a gamificação é o segredo para deixar as pessoas mais motivadas?

Naturalmente o ser humano se empenha mais naquilo que considera de seu interesse. Ou seja, se aplicado de forma correta, a gamificação pode sim ser a chave para o engajamento, motivação e resultados melhores.

Todavia, para gamificação funcionar corretamente, é preciso escolher quais atividades tem maior impacto para o resultado esperado e criar formas de medir se ela está funcionando. .

Num ambiente corporativo, por exemplo, é de suma importância tomar cuidado para que a gamificação não torne o ambiente exageradamente competitivo e tenso, pois isso pode gerar o resultado oposto.

Já em sistema de ensino, especialmente de crianças, é fundamental combinar recompensas materiais com imateriais, mostrando que boas ações tem uma finalidade muito mais importante do que apenas ganhar recompensas.

Dito isso, é preciso dizer: há muito a ser estudado sobre gamificação, mas como você viu nos exemplos deste artigo a gamificação é uma ferramenta poderosa no aumento da motivação. 

Agora que você já sabe disso, veja como aplicamos a Gamificação aqui na SX utilizando nossa Intranet Corporativa:

E aí,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *