fbpx
Atendimento ao cliente: o que o chatbot pode fazer para sua empresa

Comunicação Interna

Atendimento ao cliente: o que o chatbot pode fazer para sua empresa

SimbioX
Escrito por SimbioX em 25 de junho de 2019
🔴 Webinar Jornada do Colaborador na Prática em 10 etapas. Grátis

O atendimento ao cliente agora tem mais uma tecnologia para revolucionar sua empresa: o chatbot. Dotado de inteligência artificial e capaz de aprender com conversas anteriores, esse software é a nova tendência no mercado tecnológico. Descubra em seguida como ele funciona, onde o encontrar e por que você deve implantar essa tecnologia.

Antes de mais nada: Chat o quê???

Chatbot. O termo vem do inglês e une as palavras chat (conversa, bate-papo online) e robot (robô). É um software de comunicação que funciona (ou não) com inteligência artificial, então ele, além de obedecer e reproduzir os seus comandos também aprende e adquire experiência para interagir melhor com o cliente.

Mas, o que ele faz de diferente no atendimento ao cliente?

Claro, haverá situações em que o contato direto com o cliente será necessário, mas sabemos que muitas vezes perdemos tempo respondendo as mesmas questões, tais como:

  • Pedidos de informação;
  • Acompanhamento de pedidos;
  • Alterações cadastrais;
  • Agendamento de visitas.

Ou seja: nada que uma boa programação não possa resolver.

Ele ainda é capaz de enviar imagens, links e vídeos que sejam úteis para o atendimento daquele cliente. Os robôs podem fazer quase qualquer coisa para melhorar seu relacionamento com clientes, tanto tirar dúvidas quanto fornecer entretenimento.

Se o software funcionar com IA (inteligência artificial), melhor ainda! Sabe o blog da empresa? O chatbot também pode, por exemplo, enviar o post da semana para o usuário, caso os interesses deles coincidam com o tema.

Você também conta com um atendimento com disponibilidade total: 24h por dia, sete dias por semana já que o chabot é totalmente programado por software. Como não é preciso esperar pelo atendimento, também há a redução do número de abandonos dos visitantes no site.

Jogar conversa fora?

Você muito provavelmente já conversou com um robô achando que era um social media. Então vale usar a criatividade e pensar nas possíveis dúvidas, comentários e até dar uma atenção especial aos prováveis “engraçadinhos” que podem aparecer.

Além dos websites, redes sociais como o Facebook, Instagram e WhatsApp estão começando a implantar opções para a automação do primeiro atendimento ao cliente. Há opções, apesar de básicas, gratuitas.

Aliás, há muitos cases de sucesso no Brasil. Quando você tiver um tempo livre, dê uma passadinha nas páginas das Casas Bahia ou da Localiza Hertz (é possível reservar um carro pelo Messenger, acredita?).

Vale o investimento?

Sem dúvida, vale e vale muito! As empresas estão apostando nos chatbots e há previsões de que mais de 80% das empresas brasileiras utilizarão esse software até 2020.

O custo de um chatbot está relacionado à complexidade da conversa que você espera que o robô tenha com o cliente. Como é uma ferramenta personalizável, não há impedimento para nenhuma empresa, basta traçar a sua estratégia.

Então, como criar meu próprio chatbot?

  • Primeiramente você precisa definir que tipo de conversa você quer que o robô tenha com o cliente e para isso, é importante responder as seguintes perguntas: qual é o objetivo do chatbot? Esclarecer dúvidas? Facilitar o processo de compras?
  • Pense se a forma como o seu bot se comunica condiz com a imagem que a sua empresa quer passar. Um escritório jurídico, por exemplo, tem uma comunicação diferente e uma agência de publicidade.
  • Escolha uma plataforma e tenha alguém que tenha habilidades com programação e que possa configurar o robô dessa forma você não precisará se preocupar com conhecimento técnico.
  • Cuidado com o texto. Não é porque não é uma pessoa ali que deve parecer um robô. A intenção do software é imitar as interações humanas, sendo assim, vale a pena investir tempo e energia ao planejar as possíveis interações do robô.
  • Antes de começar pra valer: faça o teste! Peça a opinião de colegas de trabalho, família, da namorada… Pergunte como foi a experiência deles e cheque se o robô não errou as perguntas, é provável que você descubra pontos de melhoria.

Ainda ficou com dúvidas? Conta pra gente: quais os maiores desafios na sua área para a implantação deste software?

E aí,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *